Criei esse blog para servir de "diario" do meu doutorado. Colocarei aqui livros que estou lendo, sites, artigos, etc. O espaço esta aberto para discussoes, entao sinta-se livre para dar sua opiniao, sugestao de leitura, entre outras coisas.
sábado, 30 de abril de 2011
The Cognitive Neuroscience of Memory: An IntroductionOtimo livro para quem quer se iniciar no estudo da memoria. Ele é bem "neuro", deixando pouco espaço para a parte cognitiva (mas que é bem interessante). Mas é um livro bem didatico, cheio de exemplos, quadros, etc. Com perguntas de pesquisa e um resumo a cada fim de capitulo.

Vale bem a pena ter o livro, mesmo que seja para algumas consultas esporadicas.

Abraços

CH
sexta-feira, 29 de abril de 2011
Dans les griffes de la HammerOtimo livro (em frances) sobre a Hammer. Mas o autor se concentra na recepçao dos filmes aqui na França, com varias criticas, jornais, fotos, revistas da época.... Mas a primeira parte do livro descreve muito bem a estética utilizada por essa "casa dos horrores".

Otimo livro.

Abraços

CH
House of Horror: The Complete Hammer Films StoryUm livro bem interessante para quem gosta dos filmes da Hammer (eu adoro). Varias fotos, anedotas, etc...

Um pouco resumido, mas bem interessante.

Abraços

CH
quarta-feira, 27 de abril de 2011
The Film Sense
The Film Sense foi escrito em 1942 por Sergei Eisenstein, importante diretor russo (e que também contribuiu com a teoria cinematografica).

O "destaque" do livro  é o ultimo capitulo, quando ele explica sua "composiçao audio-visual" que é ao mesmo tempo tao criticada como modelo de multimidia mas também "adorada" como um exemplo de composiçao audio-visual. 

Mas o livro inteiro vale a leitura. Eisenstein parte de muitos exemplos da literatura e artes plasticas para justificar seus argumentos, e explicar a importancia da montagem no cinema. 

Recomendo. 

Abraços

CH

Music in the Horror Film: Listening to FearBom livro com varias analises. (Mais uma vez o blogger muda a fonte e formato dos meus textos... me desculpem).


Nao tenho muito o que falar sobre ele, mas para quem se interessa por musica em filmes de terror eu recomendo. Infelizmente o livro so conta com artigos bem especificos, com analises bem pontuais. Para quem se interessa por algo mais "geral" o livro nao contribui muito nao. 

Abraços

CH
Deleuze and Film Music: Building a Methodological Bridge Between Film Theory and Music
Bom livro sobre analise de musica de filme. Redner começa com uma analise de teorias sobre a musica de filme desde os anos de 1910. Mostra seus "defeitos" para em seguida apontar conceitos que podem soluciona-los. Ele relaciona a teoria cinematografica e a musicologia, fazendo uma ponte entre os dois campos de pesquisa atravez de sua teoria. 


Ele analisa seis filmes (que postarei aqui depois). A cada filme ele apresenta um conceito diferente da teoria (cinematografica, filosofica e musical) de Gilles Deleuze (como sensaçao, nomadologia, refrao, territorialismo, entre outros). 

Muito interessante, mas acaba fazendo o que "todo mundo" ja faz, mas com palavras e teorias complicadas. Faltam exemplos para "comprovar" sua teoria, e o mais interessante é que todas as trilhas sonoras analisadas (menos uma se bem me lembro) tem a "concretizaçao" da trilha sonora na diégèse, deixando a pergunta se sua teoria poderia apenas analisar esse tipo de trilha sonora, ou se poderia servir para filmes onde a trilha nao caminha entre os dois "mundos" (diégético e extra-diégético). 

Mesmo assim um bom livro. Recomendo.  

O livro é o resultado de uma tese, que pode ser encontrada aqui

Abraços

CH
terça-feira, 26 de abril de 2011
Le Son En Perspective: Nouvelles Recherches / New Perspectives in Sound StudiesBom livro (de 2004) com varios artigos interessantes em frances e em ingles (inclusive um artigo do meu orientador sobre os dois primeiros filmes falados produzidos em Portugal).

Destaque para o artigo de Rick Altman (o "Papa" da historia do som no cinema) sobre as crises, tendencias, resoluçoes,  do som no cinema atravez de sua historia. Bem interessante.

Recomendo.

Abraços

CH
segunda-feira, 25 de abril de 2011
Analyser La Musique de Film
Eu nao colocaria Analyser la Musique de Film como sendo um livro (começo, meio e fim ou um fio condutor) sobre a musica de fime. Na verdade ele é uma coletanea de artigos reunidos por Frederic Gimello-Mesplomb. Uma coletanea de artigos que ele gosta na verdade. Sao artigos mais velhos que a gente pode achar em outros lugares, e que  ja foram mesmo publicados. Comprei o livro por conta de um artigo de Philip Tagg, mas que na verdade é o plano de curso de analise de musica de filme que fica em seu site !!! 


Os dois primeiros artigos sobre a historia da musica de cinema, e as "heranças" musicais sao bem interessantes... mas o resto demonstra uma imensa preguiça em fazer um "livro de verdade". 

Nao recomendo, pegue o indice e procure os artigos na internet...

Abraços

CH

domingo, 24 de abril de 2011
The Spectre of Sound: Music in Film and Television
The Spectre of Sound : Music in Film and Television de K. J. Donnelly foi publicado em 2005. 


Gosto muito do Donnelly, ele escreve muita coisa interessate, principalmente em filosofia e estética do cinema. E ele também tem uma cultura de TV muito interessante. Ele costuma sempre dar exemplos de musicas no cinema e também na TV (algo meio esquecido pelos pesquisadores). 

A parte sobre um pouco da historia do cinema ingles é bem interessante. 
O ponto "fraco" do livro seria um  o fio condutor, sobre a musica ser algo "sobrenatural" no cinema... meio forçado, mas interessante quanto ele analisa alguns filmes de terror...

Boa leitura, recomendo. 

Abraços

CH 
sexta-feira, 22 de abril de 2011
Um documentario sobre a musica do periodo classico em Hollywood. Ele termina meio de repende... talvez esteja faltando alguma parte. Ele usa Laura (1944) como fio condutor... talvez porque David Raksin ainda era vivo (e um dos ultimos "grandes mestres" que fizeram musica para filme nos anos 30 e 40) na época em que foi feito o documentario (1995 eu acho). Laura nao seria o melhor exemplo de trilha sonora classica, mas o documentario é bem interessante.






















Abraços

CH
sexta-feira, 15 de abril de 2011

Mais um "Filme Express", 4 filmes de terror e uma otima comédia : 

La féline Poster


Classico romance/terror dos anos 40. A trilha sonora foi composta por uma lenda de Hollywood, Roy Webb. Mesmo a trilha sendo bem classica, tanto pela linguagem quanto pela a utilizaçao, ela nao deixa de ser uma boa trilha sonora, colaborando, e muito, com a ambiencia do filme. Classico, vale a pena ver.   






Dementia 13 Poster


Se eu nao me engano foi o primeiro filme de Coppola. A primeira cena do filme é genial, com a musica de radio fazendo "trilha", criativo e alucinante. A trilha sonora, composta por Ronald Stein,  faz algumas referencias à musica de Psicose de Hitchcock, composta por Bernard Herrmann. Otimo filme. 






La nuit des masques Poster


Grande classico do terror, a musica é quase inteira monotematica e sempre acompanha o assassino, de maneira bem insistente, como o tema do filme. Ela foi composta pelo propio John Carpenter (com sintetizadores, inovaçao vinda dos anos 50 e que da essa liberdade ao diretor.... mas que é muito criticada pelos compositores de musica de filme) A camera em primeira pessoa também é genial. Otimo filme, classico. 




Vendredi 13 Poster


Vendo o filme tive a impressao de ouvir quase uma variaçao da musica de Psicose, por causa das muitas referencias. Ela foi composta por Harry Manfredini, e sempre aparece junto com o assassino.

Psicose foi um filme que criou a "onda" de Slasher movies, ou filmes de terror onde as pessoas sao mortas cortadas, esfaqueadas, perfuradas, etc... O assassino com problemas psicologicos também sofrem grande influencia de Psicose. Outra coisa interessante de filmes de terror é que o filme "nao termina". Eles normalmente tem um baixo orçamento, e necessitam de suas sequencias para sobreviverem. 

Uma comédia para aliviar a tensao.

Le corbeau Poster


Otimo filme. A trilha sonora; meio circense, meio eletronica, meio orquestral, meio suspense, é uma bela ilustraçao do filme. Um grande mickey mousing, ou um comentador privilegiado. Engraçadissa. No final do filme tem uma sequencia, do duelo, com quase 10 minutos de musica, sem dialogos, sensacional. Ela foi composta por Les Baxter. A trama é muito boa, citando o poema "O Corvo" de Edgar Alan Poe, e partindo em disparada para outros lugares. O elenco é simplesmente demais : Vicent Price em um dos personagens mais engraçados que ja vi, com uma vez besta, mas honesta, imperdivel... Peter Lorre, engraçadisso... Boris Karloff (sim o propio montro de Frankenstein de 1931), impagavel... Hazel Court, que fez The Curse of Frankenstein (da Hammer)... e Jack Nicholson de galã, em um papel especialmente ruim, imperdivel também... 

Abraços

CH

quinta-feira, 14 de abril de 2011
Music from the House of HammerMusic from the House of Hammer foi escrito por Randall D. Larson e foi lançado em 1996.

O livro faz um apanhado da historia da musica dos filmes da Hammer (estudio ingles que produziu filmes de terror entre os anos 50 e 80... e que esta voltando a produzir agora). Todos os importantes compositores e diretores musicais do estudio sao listados no livro. O autor mostra seus metodos de composiçao, suas historias, etc.

Um documento valioso para quem se interessa pela Hammer e seus filmes de terror.

abraços

CH
quarta-feira, 13 de abril de 2011
bookjacketStrains of Utopia, Gender, Nostalgia, and Hollywwood Film Music foi escrito por Caryl Flinn e publicado em 1992.

O livro traz uma "nova" maneira de ver/ouvir a musica no cinema "classico" americano. A autora analisa o "retorno" à musica do final do periodo romantico utilizada pelas trilhas sonoras do periodo "classico" do cinema americano como nostalgia, ou a busca do "nao lugar".

Ela traz analises da musica e "a busca do objeto maternal perdido", entre outras coisas....

O livro tem195 paginas, e mais de 100 sao usadas para explicar, ou filosofar sobre seus conceitos de nostalgia, utopia, critica cultural, etc... e muito pouco (comparado às discussoes teoricas) é falado sobre a projeçao disso tudo na musica de filme. So nos ultimos capitulos a autora "analisa" alguns filmes...

Na minha opiniao, o livro serve como um complemento para os mais curiosos, que se interessam em questoes de genero (masculino/feminino) e filosofia/sociologia... nao vejo uma importante contribuiçao para o estudo da musica de filme, tanto em estética como em historia...

Tendo coisas mais importantes para ler, sugiro "pular" esse livro... ou ler quando tiver um pouco mais de tempo.

Abraços

CH
segunda-feira, 11 de abril de 2011
Um documentario sobre a Hammer. Esta em ingles.











Abraços

CH
quinta-feira, 7 de abril de 2011
Mais dois filmes "express" : 

Rosemary's Baby Poster


O filme teve forte influencia na nova cultura de filmes de terror, deixando para traz os montros da Hammer (que nessa época começa a decair), apresentando temas mais "adultos", de teor psicologico e com "monstros mais palpaveis", como o diabo. Os sons "irreais" sao bem interessantes, pois quebram com a tradiçao realista dos filmes de terror da Hammer, e mesmo os da Universal. A trilha sonora também vai contra grande parte do "sinfonismo" tradicional de Hollywood (Rosemary's Baby foi o primeiro filme americano de Roman Polanski, o que explica a forte influencia do cinema europeu da época).
A trilha foi composta por Christopher Komeda

Classico, imperdivel.


Les prédateurs Poster


O filme é bem maluco, nos deixando perdidos logo no começo. A musica tem uma grande importancia, e soa diégética/extradiégética ao mesmo tempo... o volume alto também nos deixa perdidos (imagino o efeito no cinema, algo que deveria ser bem marcante). A trilha utiliza instrumentos "modernos" (como sintetizadores) mas faz referencia direta à classicos da musica "séria". Muita coisa fica inexplicada, mas mesmo assim é um bom filme. Classico e tem a participaçao de David Bowie (muito bem por sinal). E claro, da bela Catherine Deneuve e uma Susan Sarandon bem novinha. 
A trilha foi composta por Denny Jaeger e Michel Rubini.  

Abraços

CH  
terça-feira, 5 de abril de 2011
Composing for The Films é o resultado do projeto de pesquisa sobre musica de filme financiado pela Rockefeller Foundation. A pesquisa foi realisada pelo compositor Hanns Eisler, e contou também com a participaçao de Theodor Adorno (nao creditado na ediçao original do livro, pois Eisler tinha alguns ideais comunistas e Adorno nao queria problemas com a "caça as bruxas"). O livro foi lançado em 1947. 

Os autores fazem duras criticas às utilizaçoes da musica em Hollywood. Nomeando-as mesmo de "maus habitos". Entre eles : o Leitmotif (as formas curtas do cinema e transiçoes rapidas entre situaçoes e cenas nao dao espaço para o bom desenvolvimento do leitmotif) ; Melodia (melodia de facil reconhecimento, cantavel e expressiva) ; a musica nao deve ser percebida conscientemente pelo espectador  (o que leva a musica banal) ; justificaçao visual (a fonte da musica deve ser justificada visualmente) ; ilustraçao (a musica imita movimentos, objetos ou animais que aparecem na tela, assim como ela "imita" o conteudo emocional e de humor das imagens) ; geografia e historia (a musica representa historicamente e geograficamente um lugar, etc) ; Stock Music (musicas que sao associadas à alguma situaçao visual simplesmente pelo seu nome) ; clichés (utilizaçao correntes de elementos musicais... por exemplo o tremolo em cordas para indicar suspense) ; interpretaçao standard (a dinamica da musica no cinema, raramente usa um pianissimo ou um fortissimo, ficando sempre em mezzoforte).

Apesar de todo o pessimismo e fortes criticas à musica de filme, os autores mostram algumas direçoes que podem ser tomadas para um uso "correto" da musica no cinema (como formas curtas, linguagem atonal, etc). 

Nao farei um resumo geral de todas as ideias do livro, recomendo fortemente a leitura.  

O importante ao ler é lembrar que o livro foi escrito entre 1940 e 1946, e nessa época esses "maus habitos" eram quase onipresente em trilhas sonoras hollywoodianas, e claro, a repetiçao cansa e mesmo "revolta" os mais engajados em questoes de estética, politica, etc. O momento historico também era propicio à tais criticas (mesmo o modo de produçao de filmes e suas trilhas sonoras ja havia viciado o mercado de trabalho, a estética das trilhas, etc). 

O livro é otimo estudo, sem muito recuo (até mesmo um pouco de "faça o que eu falo, nao faça o que eu faço" pois Adorno nunca vivenciou na pratica a vida de compositor de musica de filme, e varias criticas de Eisler podem ser vistas em seus filmes), mas mesmo assim um classico, que todos interessados em musica de filme devem ler.

Abraços

CH
Ocorreu um erro neste gadget

Search

Carregando...

About Me

Seguidores

Total de visualizações de página

Quem esta ai ?

Tecnologia do Blogger.